Quando saboreamos um vinho, estamos muitas vezes longe de conseguir identificar e avaliar “aquele” gosto em particular. Há factores influentes na fabricação de um vinho, tais como: o solo e o subsolo; a localização e a altitude; o clima da região; o trabalho de viticultura; o processo como o vinho é fabricado; o ano da colheita (relativo aos factores climáticos); e a casta ou castas que o compõem.

Este último é um dos factores mais importantes, já que cada casta tem um sabor específico e características próprias. O paladar do vinho é fortemente influenciado pelas diferentes castas, mesmo se este for feito de uma mistura de castas. Saber detectá-las através dos aromas e sabores é uma das artes mais difíceis na cultura vinícola. É necessária muita prática e saber, mas vale sempre a pena iniciar este complexo processo de aprendizagem para que possa escolher o vinho que mais se adequa à sua refeição.

Para iniciar esse processo é essencial conhecer as principais castas nacionais e internacionais que existem em Portugal. Experimente e aprenda a distinguir as diferentes castas associadas, na nossa sugestão de vinhos Pingo Doce.

Castas nacionais

castasnacionais_516

Alfrocheiro
Casta tinta, com forte aroma a morangos, que imprime um corante intenso ao vinho.
Sugestão: Vinho Dão Tinto Reserva

Antão Vaz
É uma casta branca, usada sobretudo no Alentejo. Os seus vinhos apresentam cor citrina e um aroma a frutas tropicais amadurecidas.

Arinto
A casta branca é a sua principal marca. Com acidez elevada, tem um aroma intenso a frutos tropicais. Excelentes companheiros de verão, para serem bebidos preferencialmente enquanto jovens.
Sugestão: Vinho Alentejano Branco

Bical
A Bairrada e o Dão são as suas grandes zonas desta casta em Portugal. Dá-se bem em qualquer tipo de solos, produzindo boa qualidade tanto em solos arenosos e frescos como em solo argilosos e secos. É uma casta branca com baixa acidez.
Sugestão: Vinho Dão Branco Colheita Seleccionado

Castelão
Casta tinta, também conhecida como Periquita. Predomina a sul do Tejo, especialmente na zona da Península de Setúbal. Com forte acidez, aroma a cereja e a groselha.
Sugestão: Vinho Península de Setúbal Rosé

Encruzado
A grande casta branca do Dão que nos dá vinhos muito elegantes. Produz vinhos encorpados com boa graduação alcoólica, acidez moderada e essencialmente muito equilibrados. Apresenta notas florais e minerais

Fernão Pires
Casta branca, também chamada de Maria Gomes, que se denuncia pelo seu aroma a Moscatel e algumas notas de rosas e líchias. Produz vinhos frescos e muito aromáticos, de baixa acidez.
Sugestão: Vinho Península de Setúbal Palmela Branco

Loureiro
O seu berço é a região dos vinhos verdes (rio Lima). O seu aroma a louro faz parte integrante do seu ADN.
Sugestão: Vinho Verde Loureiro Branco

Tinta Barroca
Essencialmente uma casta do Douro, utilizada no vinho do Porto. Produz vinhos alcoólicos, macios e fáceis de beber.

Tinto Cão
Uma das cinco principais castas do Douro. Aroma a frutos vermelhos, mentolados e resinas. Frequentemente usada no Vinho do Porto, com bom potencial de envelhecimento.

Tinta Roriz
No Alentejo é conhecida como Aragonez. Resulta em vinhos elegantes e com muita frescura. Tem notas de ameixa, amora e cereja.
Sugestão: Vinho Dão Tinto Colheita Seleccionado

Trincadeira
Também conhecida como Tinta Amarela, apresenta uma acidez que se revela positiva. Aroma a frutos silvestres e algumas notas vegetais.
Sugestão: Vinho Regional Alentejano Tinto Reserva Selecção

Touriga Franca
Aroma a rosas, frutos silvestres e cereja preta, muito equilibrados e sofisticados. Tem uma cor bastante intensa. Dá origem a vinhos de elevada qualidade.
Sugestão: Vinho do Douro Tinto Reserva Edl

Touriga Nacional
Aroma característico a violetas, bergamotas, frutos silvestres e esteva.  Algumas notas a caruma de pinheiro. Bom potencial de envelhecimento.

Verdelho
Casta branca. No Douro é também conhecida como Gouveio. Resulta em vinhos de grande intensidade aromática e muito bem estruturados.

Viosinho
Casta branca que nos oferece vinhos de grande frescura e de bom grau alcoólico.

Castas internacionais

castasinternacionais_516

Alicante Bouschet

Casta tintureira de origem francesa, muito usada no Alentejo. Resistente aos calores, na fase final de amadurecimento. Tem aroma a frutos silvestres, a vegetais e a eucalipto.

Alvarinho
Esta casta branca ganhou fama na Galiza e em Portugal, sobretudo na região de Melgaço-Monção. Capacidade única para absorver o sol e resistir a fungos. Dá origem a excelentes vinhos verdes com acidez viva de aromas cítricos.
Sugestão: Vinho Verde Alvarinho Branco

Cabernet Sauvignon
Casta tinta mundialmente famosa, que se caracteriza pelas suas notas a pimentos verdes. Resulta em vinhos bem estruturados.

Chardonnay
Casta branca usada tanto nos vinhos como nos champanhes. Apresenta aromas delicados a noz e avelã com notas de frutos tropicais.

Moscatel Galego
Casta branca com aromas típicos a mel, rosas, líchias e passas de uva. Esta casta predomina no Douro, enquanto a Sul a principal casta é o Moscatel Graúdo, mais conhecido como Moscatel de Setúbal.

Pinot Noir
Casta tinta que produz vinhos muito elegantes, com fraca cor e baixo corpo. Aroma a violetas, a cereja e a morangos. É com esta casta que se produzem os melhores champanhes do mundo.

Sauvignon Blanc
Esta casta branca tem aromas tanto minerais, como fumados, a frutos tropicais, espargos e pimenta.

Syrah
Famosa casta tinta muito plantada em Portugal. Há quem defenda que é uma das mais antigas do mundo. Aroma a frutos silvestres escuros, a fumados, a pimenta e a trufas.

Seja responsável, beba com moderação.