Se há prato que os portugueses muito apreciam e não abdicam, é a sopa. Não é por acaso que Portugal é um dos maiores consumidores de sopa da Europa e do Mundo. É por isso que no nosso país – e apenas cá – uma conhecida cadeia americana de fast-food tem sopa todo o ano. O consumo de sopa é quase tão antigo como a humanidade, remontando à pré-história, sendo considerado um dos pratos mais antigos do mundo, senão o mais antigo. Conheça as mais típicas sopas portuguesas.

sopas portuguesas

A sopa é um dos mais antigos pratos do mundo e Portugal aprecia-a como poucos países no planeta

Benefícios

Sabia que se consumir quatro conchas de sopa de legumes por dia (duas ao almoço e duas ao jantar) satisfaz a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) de ingerir 400 gramas por dia de hortícolas? Se a isto juntar três peças de fruta diárias, estará a seguir à risca as recomendações da OMS.

É que a sopa tem uma diversidade de alimentos fundamentais ao funcionamento do organismo, normalmente de baixo valor energético, mas com um elevado teor de vitaminas, minerais, fibra e água. Apesar de muitas sopas portuguesas serem por si só uma refeição, a sopa é normalmente um complemento da refeição. É recomendável que seja consumida no início das refeições, contribuindo para uma maior sensação de saciedade, o que permitirá reduzir os excessos cometidos nas refeições.

As mais típicas sopas portuguesas

Cada região tem as suas sopas típicas, cada qual com seus ingredientes e sabores únicos, capazes de satisfazer os mais exigentes comensais. Conheça-as!

Sopa de castanhas – Típica da Beira Alta, sobretudo no distrito de Viseu, é tradicionalmente consumida no Domingo de Ramos. Veja a receita aqui.

Sopa da pedra – Conhecida sopa ribatejana, nascida na zona de Almeirim. A história desta sopa, que ganhou fama nos anos 60, vem de um conto recolhido por Teófilo Braga, sobre um frade esfomeado que enganou um casal de agricultores a dar-lhe todos os ingredientes para fazer uma bela sopa, dizendo que a conseguiria fazer apenas com uma pedra.

Caldo-verde – É a mais conhecida sopa portuguesa. Típica do Minho e Litoral Norte, espalhou-se por todo o país. Segundo a tradição minhota, o caldo-verde é servido em tigelas de barro, acompanhada com uma fatia de broa de milho, rodelas de chouriço e regada com um fio de azeite. Siga aqui a receita.

Canja ou sopa de conquilhas – Sopa do Algarve. Também pode ser feita com amêijoas ou lingueirão.

Sopa de peixe – Presente no Algarve, Alentejo, Ribatejo e Beira Baixa. É leve, saborosa e cada região dá o seu toque pessoal. Normalmente é feita com uma mistura de peixes, um pouco como a caldeirada. Pode também adicionar massas, saiba como aqui.

Sopa da Beira – Típica da Beira Alta, não há sopa como esta. Leva nabiças, couve-galega, presunto e farinha de milho. É garantido que não fica com fome.

Sopa de beldroegas com queijinho de cabra – Esta sopa alentejana é delicada, com o sabor suave das beldroegas e o queijo fresco de cabra para dar um sabor original.

Sopa de entulho – É uma das sopas mais consistentes da região Oeste. Leva feijão-manteiga, abóbora, batatas, couve-lombarda, vinagre, cravinhos, cebola, osso de presunto ou de porco salgado. Há quem lhe junte arroz ou massa.

Canja de galinha – Não há português que diga não a uma canja de galinha, de preferência com ovos. As opiniões apenas se dividem entre ter arroz ou massa. De origem asiática, em Portugal implantou-se a partir da Beira Litoral. Faça-a em sua casa.

Sopa de tomate com ovos escalfados – Mais uma vez, o Alentejo mostra como é a mais mediterrânica das regiões do país. Esta sopa leva tomate, cebola, azeite, alho… e ovo escalfado, para um final perfeito.

Tags: