A forma como se serve um vinho é determinante para toda a experiência de degustação. Não se trata de um ritual, mas sim de seguir regras simples que se vão reflectir no êxito de uma degustação.

A abertura

A abertura de uma garrafa é um importante passo e a parte mais complicada é, sem dúvida, o retirar da rolha:

Espumantes: depois de retirar o arame e a prata que a cobre, deve inclinar a garrafa (nunca na direcção de pessoas ou material frágil) e começar a girar a garrafa e não a rolha, segurando o seu fundo. O objetivo é que ela saia sem aquele estoirar que tantos gostam, mas que se revela inadequado. Depois deve cheirar-se a rolha para ver se está em perfeitas condições, inclinar-se o copo flute para evitar a imensa formação de espuma e servir-se até 2/3 da sua capacidade.

Vinhos brancos e tintos: segure a garrafa com uma mão e com a outra introduza a rosca do saca-rolhas, sem rodar a garrafa (evitando assim agitar o vinho o menos possível) e sem perfurar a rolha de um lado a outro. Para vinhos mais velhos, em que há uma grande probabilidade de a rolha estar mais frágil, o ideal é usar um saca-rolhas de lâminas. Insira primeiro a lâmina mais comprida, depois a mais curta (ambas com muito cuidado) e vá girando e puxando lentamente para cima. Depois, lentamente, extraia a rolha, cheire-a para ver se está em boas condições, limpe o gargalo e sirva.

SAIBA MAIS: O que ler num rótulo de vinho

A decantação

Quando estamos na presença de um vinho com mais idade e que poderá ter acumulado depósito a solução é a decantação.

Antigamente, quando o vinho saía diretamente dos pipos (só começaram a ser usadas garrafas no século XVII), era passado para jarros com um fundo largo onde se imobilizavam as borras.

Como decantar um vinho

O acto de decantar faz-se com a passagem do vinho da sua garrafa original para um recipiente (de cristal ou vidro), designado por decanter ou decantador

Na altura da passagem do vinho da garrafa para o decanter, há que ter o cuidado de verter o vinho ao longo das paredes laterais, evitando a agitação. Deve-se colocar o recipiente contra uma luz forte (ou uma vela), para ver se tem resíduos e retirá-los, servindo depois com cuidado.

A decantação elimina os resíduos acumulados, especialmente em vinhos mais velhos, engarrafados há vários anos. Para além disso, o processo permite que o vinho “respire”, através da oxigenação, libertando todos os aromas que estavam na garrafa.

Se seguir estas dicas o vinho será bebido com o máximo grau de satisfação e, por que não também, com bastante mais estilo!

SAIBA MAIS: Como conservar vinho em casa

Seja responsável, beba com moderação.