O seu nome verdadeiro é Pastinaca Sativa L., nome dado pelo conhecido botânico, o sueco Lineu, famoso em Portugal pelo uso da expressão “vulgar de Lineu”.

Em Portugal chama-se cherovia e às vezes chirivia, principalmente na Beira Baixa. Há quem lhe chama pastinaca ou pastinaga. É muito parecida com a cenoura mas não deve ser confundida com ela (em tempos passados a cenoura era branca. No Afeganistão, de onde é natural, ainda é branca). O sabor, ainda que com alguns traços em comum, é bastante diferente. A cherovia é menos doce do que a cenoura (apesar de ter mais açúcar) e tem um sabor “refinadíssimo”, segundo Maria de Lourdes Modesto no seu livro “Sabores com História”.

Cherovia, parece cenoura mas não é

A cherovia dá um toque diferente à sua sopa. Experimente

O desenvolvimento da Cherovia

Esta raiz, saborosa e única, prefere os climas mais frescos para crescer e desenvolver-se. Se tiver um pouco de geada, ainda melhor. É por isso que hoje em dia a zona com maior cultivo desta raiz é a da Serra da Estrela: a cherovia precisa do frio para desenvolver o seu sabor único.

Saudável e versátil

A cherovia aceita qualquer tipo de cozinhado. Cozida, em polme à japonesa (tempura), em puré, no forno, na sopa, frita em palitos como as batatas e até em doces, uma vez que esta raiz tem muito açúcar. Alguma cerveja irlandesa é feita a partir de cherovia cozida com lúpulo. É rica em fibra, ácido fólico, cálcio, vitaminas C e K.

Tags: